Novo Mucogastrin Balance

Mucogastrin Balance

Novo produto

A fórmula composta do Mucogastrin Balance assegura uma protecção das mucosas GI e um funcionamento equilibrado do sistema digestivo, contribuindo para uma digestão facilitada, uma absorção apropriada de nutrientes e uma estabilidade dos órgãos.

Solicitação de ficha técnica

Mais detalhes

992 Itens

24,35 € com IVA

Mais informação

Mucogastrin Balance

A fórmula composta do Mucogastrin Balance assegura uma protecção das mucosas GI e um funcionamento equilibrado do sistema digestivo, contribuindo para uma digestão facilitada, uma absorção apropriada de nutrientes e uma estabilidade dos órgãos acessórios (fígado, pâncreas), evitando reacções orgânicas adversas, de forma a desfrutar dos melhores sabores da vida.

Composição:
Condurango (Gnolubus condurango) 3500 mg
Pau de arco (Tabebuia avellanedeae)  2500 mg
Alcaçuz (Glycyrrhiza glabra) 2000 mg
Camomila (Matricaria chamomila) 1500 mg
Erva cidreira (Melissa ofcinalis) 1000 mg
FOS (Frutoligossacáridos) 500 mg
Toma Diária:

20 ml (2 medidas de 10 ml ou 2 colheres de sopa)

Modo de tomar:
10 ml 2xdia antes das principais refeições simples ou diluído num pouco de água

Apresentação:
Frasco de 250 ml

 

O Mucogastrin Balance contribui para:

  • Protege a mucosa gastrointestinal (GI)
  • Promove o bom funcionamento do estômago
  • Estimula a secreção salivar e gástrica

Beneflcia o crescimento e a selecção da microfioraintestinal e suprime a produção de metabolitos tóxicos e bactérias patogénicas.

Informação

O tracto gastrointestinal é responsável por mover os nutrientes, água e electrólitos do exterior para o interior.

O sistema digestivo começa com a cavidade oral (boca e faringe) que serve de receptor para os alimentos, e inicia a digestão dos alimentos através da mastigação e secreção de saliva (glândulas salivares), seguindo o seu percurso pela faringe, esófago, estômago, intestino delgado, intestino grosso, recto e ânus.

A digestão dos nutrientes assenta essencialmente em enzimas digestivas que são segregadas por glândulas exócrinas ou pelo epitélio GI. O muco é produzido pelas células mucosas e caliciformes formando uma camada protectora que lubrifica o conteúdo do estômago e intestino.

Existem quatro processos do sistema digestivo:

  • Digestão – quebra química e mecânica dos alimentos em partículas absorvíveis
  • Absorção – transferência de substâncias do lúmen do tracto GI para o fluido extracelular
  • Motilidade – movimentação do material pelo tracto GI
  • Secreção – transferência de fluidos e electrólitos do líquido extracelular para o lúmen ou a libertação de substâncias pelas células

O sistema nervoso entérico é denominado de pequeno (segundo) cérebro porque pode integrar informações sem comunicar com o SNC.

Na fase cefálica da digestão, a visão, o cheiro ou o paladar do alimento iniciam os reflflexos GI.
A digestão mecânica inicia-se com a mastigação, a saliva humedece e lubrififica o alimento e a amilase salivar (ptialina) começa por iniciar a digestão dos hidratos de carbono que termina no intestino delgado (lactase, maltase, sacarase) com a participação activa do pâncreas (amilase pancreática) .

O estômago digere proteínas e gorduras, regula o movimento do quimo para o intestino e secreta muco e bicarbonato das células mucosas, ácido gástrico das células parietais, pepsinogénio das células principais, somatostatina das células D, histamina das células enterocromafins e gastrina das células G.

Durante a refeição, a contracção da vesícula biliar (estimulada pela CCK) envia bílis para o interior do duodeno através do ducto colédoco, com uma solução aquosa de bicarbonato e enzimas digestivas vindas do pâncreas.

A digestão de gorduras requer bílis que emulsiona as gorduras, ocorrendo digestões mecânicas e enzimáticas e gotículas de gordura formam micelas. A absorção de gorduras ocorre inicialmente por difusão simples. Os monoglicéridos e ácidos gordos unem-se novamente em triglicéridos nas células intestinais, combinando-se com colesterol e proteínas para formar quilomícrons que são absorvidos pela linfa.

As vitaminas lipossolúveis são absorvidas junto com as gorduras e as hidrossolúveis por transporte mediado, com excepção da vitamina B12 que requer factor intrínseco segregado pelo estômago. Os minerais são absorvidos por transporte activo.

Material não digerido no cólon move-se para a frente por movimentos de massa. O reflexo de defecação é disparado pela distensão repentina do recto.

As bactérias intestinais utilizam a fermentação para digerir material orgânico. Células do cólon podem reabsorver ou segregar líquido. Quando a secreção é excessiva e a reabsorção diminuída de fluído origina a diarreia.

A maior parte da absorção dos nutrientes acontece no intestino delgado. O intestino grosso absorve água e iões.
Importante salientar a função imunitária relacionada com o GI, principalmente o intestino que através das células M recolhem amostras do conteúdo intestinal e apresentam os antígenos às células do GALT.

Ao analisar a anatomia e fisiologia do sistema digestivo leva-nos a reflectir da importância do processo digestivo na absorção de nutrientes, num sistema imunitário equilibrado e da influência do sistema nervoso e endócrino nos distúbios GI, encontrando-se relacionado a reacções alimentares (intolerância) originada por disbiose, refluxos gastroesofágicos, erosões e ulcerações gástricas, gerando sensações de desconforto e todos os sintomas associados (azia, eructações, flatulência…).